2.291 diplomas e contando...

"Para saber mandar é preciso saber fazer.
Para saber fazer é necessário aprender fazendo."

FELCTS

Texto original da década de 1940

A Fábrica-Escola de Lacticínios "Cândido Tostes", é um estabelecimento de ensino técnico-industrial especializado em lacticínios e matérias correlatas, tendo por sede a cidade de Juiz de Fora.

 

Criada e mantida pelo governo do Estado de Minas Gerais, pelo decreto n. 50 de 14 de maio de 1935, e inaugurada a 3 de setembro de 1940, está subordinada à Secretaria da Agricultura, e é o primeiro estabelecimento no gênero fundado na América do Sul.

 

Mantêm cursos de lacticínios, acessíveis a todos os graus de instrução, reconhecidos pelo Governo Federal pelo decreto n° 13.999 de 16 de novembro de 1943, que dá aos possuidores de diplomas expedidos por este estabelecimento direito ao registro no Ministério da Agricultura e garantia para o exercício da profissão em todo o território nacional.

 

Bem aparelhada para o ensino, possui: confortável internato, amplas salas de aulas, bem montado laboratório, completa fábrica de lacticínios para o ensino prático, competente corpo de professores especializados, campos de educação física, etc.

 

Esta escola está, portanto, apta a formar profissionais eficientes para organização, orientação, e exploração da indústria de lacticínios em geral e para prestar quaisquer informações aos industriais deste ramo no emprego, de métodos modernos e racionais na fabricação dos produtos lácteos.

CÂNDIDO TEIXEIRA TOSTES

Dr. Cândido Teixeira Tostes, nascido em 05 de fevereiro de 1842, bacharel em Direito, diretor do Banco de Crédito Real de Minas Gerais, homem dinâmico e inteligente, de grande projeção no meio ruralista. Dr. Tostes implantou, nas fazendas São Mateus e Sant’Ana, lavouras de café, tornando-se o maior cafeicultor de Minas e, por isso, cognominado o “Rei do Café”. A 9 de abril de 1927, falecia, aos 85 anos, Dr. Candinho, como ficou carinhosamente conhecido. A escolha do nome da Fábrica Escola de Laticínios Cândido Tostes foi em sua homenagem, como afirmou o Governador Benedicto Valladares, quando discursava na inauguração, em 1940 e dizia que aquela denominação “constituía merecida homenagem ao labor fecundo e caracter de escol do saudoso mineiro Cândido Tostes” (VIDA DOMÉSTICA, out. 1940: 61).